Muito se fala sobre a diferença entre preço e valor no mundo dos negócios e é comum haver confusão de conceitos.

O investidor americano Warren Buffet, presença constante na lista dos mais ricos do mundo, sintetiza o conceito de forma bem simples: “preço é que você paga, valor é o que você recebe”.
Geralmente de forma inconsciente, o consumidor pesa esses dois itens para definir se a compra pretendida compensa, resultando no famoso custo-benefício.

Sendo assim, preço é o que você emprega, em dinheiro, por um produto ou serviço. Está associado à moeda, gasto ou despesa. Ele é invariável, portanto, praticado igualmente para todos.
Quem define o preço é a empresa dona do produto, com base no seu custo de produção e distribuição, mais sua margem de lucro.

Valor é o que o cliente percebe como benefício e a experiência desfrutada. Essa percepção depende de um estado mental, ou seja, quanto melhor ou mais rápida for satisfeita a necessidade, maior a identificação e valorização do produto.

Quem define o valor é o cliente, de acordo com sua motivação particular. Este, quando percebe o valor, considera ter feito um bom negócio, independente do preço.

Outro fator relevante para as composições de preço e valor é o custo.

Ele consiste no investimento de tempo e dinheiro realizado pela empresa para a obtenção do produto/serviço, seja através de compra ou produção (mão-de-obra, matéria-prima etc).

Assim, a despesa reflete no preço, enquanto a qualidade do processo reflete no valor.

Experiência do consumidor
A identificação do consumidor com o produto não está relacionada às especificações e funcionalidades, mas como ela pode contribuir para a satisfação de uma necessidade. O preço trata-se, geralmente, do que o produto faz, enquanto o valor corresponde à sensação produzida no cliente.

Desde a implementação da empresa e da construção dos objetivos, deve ser estabelecido o que você deseja despertar no cliente. Isso se dá por meio da proposta de valor, termo utilizado para detalhar os benefício oferecidos com seu produto.

Para que você entenda o que o cliente espera e de que forma sua empresa pode atendê-lo, é necessário estabelecer um fluxo de captação e relacionamento, aplicando algumas técnicas da sua estratégia de valor.

3 passos para criar sua estratégia de valor

#1 Relevância
Meu produto/serviço resolve algum problema ou melhora algum processo?

#2 Benefícios
Eu entrego vantagens reais aos meus clientes?

#3 Diferenciação
Eu ofereço algo diferente do meu concorrente ou já existente no mercado?

Emocione seu cliente
A forma mais memorável de engajar seu cliente é através da emoção.
Existem muitas maneiras de criar empatia, confiança e autoridade, e o mais fantástico é que algumas delas nem demandam investimento financeiro:

Conte a sua história
Mostrar às pessoas sua origem é uma ótima maneira de aproximá-las da sua marca. É como se elas fizessem parte da sua família.

Ofereça um teste do seu produto
Quando você dá algo sem pedir nada em troca, está sinalizando transparência e segurança. O cliente percebe, na prática, os benefícios e torna-se um defensor da sua marca.

Apresente depoimentos reais
Contar a experiência de outros consumidores tangibiliza a solução que os clientes buscam e permite que eles se identifiquem.

Por que as pessoas pagam mais por determinadas marcas?
Nesse caso, a diferença entre preço e valor fica muito clara. Quando há dois ou mais produtos parecidos, com preços igualmente semelhantes, o consumidor passa a avaliar o valor, ou os benefícios exclusivos.

Vamos pensar no caso da rede de café Starbucks. Você pode comprar um café em uma padaria na esquina de casa por R$2,50 mas você paga até 5 vezes mais por um café que vem em um copo personalizado escrito o seu nome. Muito mais do que o preço, você está levando o valor da marca.
De que forma as recompensas são oferecidas?

Funcionais
* Qualidade
* Rendimento
* Personalização
* Suporte
* Assistência técnica

Emocionais
* Status
* Pertencimento
* Realização pessoal
* Conforto
* Segurança

Valor percebido pelo cliente
É importante que o seu cliente enxergue muito além do preço do produto e serviço. Quanto mais ele ver de valor que você entregará, menos ele olhará apenas para o preço do que será pago.

Pense em uma viagem: se o turista olhar apenas para quanto gastará, provavelmente vai desistir. Mas quando ele coloca em perspectiva as experiências, descanso, memórias que terá, tudo muda pois ele passa a analisar o valor.

Como você quer ser reconhecido?
Você deseja ser referência pelo menor preço, pela qualidade ou pela exclusividade?
É necessário que esse objetivo esteja bem claro em sua estratégia de comunicação, para que todos os passos dados a partir daí estejam alinhados.

Em geral, apenas uma empresa consegue se posicionar como referência no seu segmento e, para sê-la, é necessário orientar os processos, atendimentos e ressaltar a cultura organizacional.

É preciso ficar atento, no entanto, pois na briga pelo topo, algumas empresas colocam em risco a reputação da marca e o relacionamento com fornecedores e clientes.

Lembre-se: suas ações interferem diretamente no valor percebido da sua empresa. Qual valor você está entregando para o seu cliente?

funil-de-vendas O que você entrega para o seu cliente: preço ou valor?
Indicadores que mostram como bater sua meta
Nunca mais perca oportunidades por falta de follow ups
Quer bater sua meta?

Gostaria de colocar estas dicas em prática dentro de nosso CRM?

Quero experimentar grátis