Skip to main content

Se você está procurando por informações sobre como calcular o Payback, você chegou ao lugar certo.

Neste artigo, vamos explicar com detalhes como ele funciona e quando é melhor utilizá-lo.

Além disso, mostraremos exemplos práticos para que você possa entender com clareza como ele influencia as suas decisões de negócio. Fique conosco e confira!

O que é Payback?

Payback é um indicador comumente usado para medir o retorno financeiro de um investimento. Ele mostra o tempo necessário para que o valor do investimento seja recuperado com lucro.

O Payback também pode ser usado como uma ferramenta para comparar a rentabilidade de diferentes opções de investimentos com o objetivo de tomar decisões mais acertadas.

Além disso, com o Payback é possível calcular com precisão o tempo necessário para que um determinado projeto faça com que os custos sejam recuperados com lucro.

Assim, você consegue decidir com sabedoria qual projeto deverá ser executado primeiro e como devem ser alocadas as suas finanças.

A fórmula de como calcular o Payback surgiu como uma alternativa a outras métricas comuns, como o IRR (Taxa Interna de Retorno) e o VPL (Valor Presente Líquido). É comumente usado como ferramenta para avaliar os riscos financeiros envolvidos em um investimento.

Para que serve o Payback?

O Payback serve como uma ferramenta para medir a rentabilidade do seu investimento, com o objetivo de definir qual projeto será mais lucrativo. Assim como todos os outros métodos, ele apresenta algumas vantagens e desvantagens.

Uma das principais vantagens de se usar o Payback como ferramenta para avaliar investimentos é que ele é muito simples de calcular. Ele não precisa levar em conta fatores como taxas de juros e outros cálculos comuns a outras técnicas como o VPL e o IRR.

Além disso, como é baseado em tempo, ele pode ser útil para medir com precisão quando um determinado projeto se tornará lucrativo. Essa característica também permite que você compare com maior facilidade diferentes opções de investimento com base no tempo necessário para se obter lucro com cada um deles.

No entanto, como nem tudo são vantagens, o Payback também possui algumas desvantagens. Uma delas é que ele não leva em consideração fatores como taxas de juros ou a inflação, por isso pode não ser uma estimativa confiável de como um determinado projeto pode se tornar lucrativo a longo prazo.

O que pouca gente sabe é que o Payback também é comumente usado como ferramenta para avaliar riscos financeiros.

O raciocínio por trás disso é que quanto menor o tempo necessário para recuperar o investimento, menores serão os riscos e maior a probabilidade de obter um bom retorno com o projeto.

Como calcular o Payback?

Para como calcular o Payback é relativamente simples e pode ser feito com os seguintes passos:

Calculando o Payback Simples

1. Calcule o investimento inicial com base nos custos de implementação do projeto.

2. Descubra o fluxo de caixa líquido com base nas receitas e despesas previstas com o projeto.

3. Some todos os fluxos de caixa com saldo positivo.

4. Divida o investimento inicial pelo fluxo de caixa líquido somado. O resultado será o Payback Simples do projeto em questão.

Calculando o Payback com descontos

1. Calcule o valor presente com base nas taxas de juros relevantes ao projeto e com base nos fluxos de caixa com saldo positivo previstos.

2. Divida o investimento inicial pelo valor presente para obter o Payback com descontos do projeto.

Como você viu, com o Payback é possível obter uma estimativa excelente de como um determinado projeto se tornará lucrativo com base no tempo necessário para recuperar o seu ROI.

Qual é a relação entre payback e fluxo de caixa?

Uma das principais relações existentes entre o payback e o fluxo de caixa é a simplicidade com que esta última pode ser usada para realizar cálculos com precisão.

O fluxo de caixa é comumente usado como um dos principais parâmetros para se calcular o payback, pois permite que você descubra com facilidade como o projeto será lucrativo com base no tempo necessário para recuperar os custos iniciais.

Portanto, com o payback é possível avaliar com maior facilidade como um determinado projeto se tornará lucrativo com base em fatores como tempo e fluxo de caixa.

Com isso em mente, você pode decidir com mais eficácia quais projetos são os melhores para o seu negócio com base em fatores como rentabilidade, riscos financeiros e outros.

O Payback e o ROI (Retorno sobre o Investimento)

Payback e ROI são comumente usados como ferramentas para avaliar a rentabilidade de um projeto com base no que foi investido no início do projeto. No entanto, existem alguns pontos que os diferenciam com relação a como esses dois conceitos são usados como avaliações.

Enquanto o payback mede com precisão com base no tempo necessário para recuperar o investimento inicial, com o ROI você consegue estimar com maior precisão como um determinado projeto se tornará lucrativo com base em fatores como a taxa de juros ou a inflação.

Além disso, com o ROI é possível comparar com maior facilidade diferentes opções de investimento com base no retorno que cada um deles pode gerar.

Conclusão

Como você viu, o Payback é uma excelente ferramenta para avaliar com precisão como um determinado projeto se tornará lucrativo com base no tempo necessário para recuperar o que você gastou para iniciar um projeto.

O modo de como calcular o Payback vai influenciar diretamente no seu capital inicial. Com ele é possível avaliar de forma rápida como um determinado projeto se tornará lucrativo com base em fatores como fluxos de caixa e taxas de juros com a ajuda do ROI.

Além disso, com o Payback é possível avaliar com maior facilidade como um determinado projeto se tornará lucrativo, otimizando o seu dinheiro.

Ao usar essas ferramentas você consegue decidir com maior eficácia quais projetos são os melhores para o seu negócio com base em fatores como rentabilidade, riscos financeiros e outros.

Funil de Vendas, CRM para equipe comercial
Indicadores que mostram como bater sua meta
Nunca mais perca oportunidades por falta de follow ups
Quer bater sua meta?

Gostaria de colocar estas dicas em prática dentro de nosso CRM?

Experimentar grátis
5/5 - (3 votes)
Thiago Pirinelli

Thiago Pirinelli, especialista em Estruturação Comercial para empresas que vendem no B2B. É Sócio fundador da Funil de Vendas™ (www.funildevendas.com.br), cocriador do Método Alavancar Vendas, Canvas Funil de Vendas, Simulador de Meta e WeCanvas.app. Co-Autor do livro: Funil de Vendas, o jeito simples de vender. Há 12 anos vem implantando e estruturando processos de vendas em empresas de todo tipo de segmento e tamanho que você possa imaginar, somando mais de 2000 clientes em carteira. Evangelista do método, marca e empresa Funil de Vendas™.  Responsável por apoiar com o Método e CRM uma movimentação de mais de 5 Bilhões de reais em oportunidades ganhas de 2015 à 2022. Atualmente é responsável pelas áreas de aquisições de novos usuários CRM, avanço da plataforma e produtos digitais.